Arquivos mensais: abril 2016

Pintura rostos com diferentes padrões e símbolos tem sido parte da tradição de muitas culturas , incluindo as nações africanas. Pintura de rosto , que geralmente é complementada com pintura de corpo , é feito de acordo com os ritos tribais e atividades culturais de grupos tribais africanos específicos. Esta tradição também traz diferentes finalidades e significados para diferentes tribos, como caça, eventos específicos , rituais e estado tribal.

Efik

Rosto e pintura do corpo carregam um monte de simbolismo para a tribo Efik . Este grupo étnico , que reside principalmente no sudeste da Nigéria, usa pintura de rosto para significar o amor e pureza. Durante os velhos tempos na tribo, a pintura de rostos era uma forma de expressar  própria identidade da tribo. Pintura de rosto também incluiu padrões para identificar famílias e clãs . Em alguns casos, pintura de rosto também simboliza a felicidade de dar à luz a uma criança. Para as mulheres solteiras , um rosto pintado é o equivalente a um rito de iniciação para o portador para entrar formalmente na sociedade das mulheres. Para as famílias, caras pintadas também indicam a sua felicidade por alguma boa notícia que receberam. As dançarinas nativas , chamadas Abang , usar pintura de rosto , como forma de expressar a sua beleza , o amor e a feminilidade completa.

Xhosa

A tribo Xhosa obtém a tinta que eles usam em seu rosto a partir de uma área chamada Hogsback . Eles chamam este lugar Qabimbola , o que significa barro vermelho no rosto. Os objetivos para estes povos tribais para pintar seus rostos são variados. Alguns usá-lo como uma proteção contra a luz solar. As mulheres colocam tinta branca em seus rostos como um sinal de beleza. Durante o rito de iniciação chamado Abakwetha masculinidade , os homens jovens têm seus rostos pintados primeiro com lama branco. Após a cerimônia de circuncisão, os seus rostos serão cobertos com lama , significando a sua preparação para responsabilidades completos adulto masculino .

Pondo

A tribo Pondo em Pondoland do região Sul Africano celebra a tradição chamada umgidi . Isto refere-se a iniciação de um jovem para se tornar um adivinho ou sacerdotisa da tribo. No dia iniciação final é marcado pela mulher que aparece em sua herdade nu da cintura para cima , com o rosto e o tronco pintado com barro branco decorado com folhas idwabe . O padrão de pintura criado em seu tronco e rosto simboliza sua ligação com seus antepassados, que se acredita ser a razão para a sua doença e recuperação. As mulheres dançam para expressar gratidão a seus antepassados para restaurar sua saúde.

Karo

As tribos Karo localizados no sul do Vale do Omo , na Etiópia são conhecidos por serem mestres da tradicional corpo e pintura de rosto . Eles pintam seus rostos e corpos , como uma parte valiosa de sua festa de dança e cerimônias como para namoros . Eles usam giz pulverizado branco, carvão vegetal preto, amarelo, ocre e terra vermelha para criar padrões de pintura marcantes e elaborados para emular a plumagem do pintadas . Esses padrões são geralmente traçadas usando apenas suas mãos e dedos.

Woodabe

A tribo Woodabe , também chamada de tribo Bororo , é um grupo de nômades pastorais encontradas em Níger oriental. A tribo celebra o festival Gerewol , um local especial que dá aos homens a oportunidade de conhecer e atrair mulheres em sua tribo. Durante a celebração , competições ocorrem na forma de um concurso de beleza onde as mulheres são os juízes e os homens são os candidatos . Os homens Woodabe pintar seus rostos amarelos ou vermelhos e os lábios negros durante suas cerimônias de dança anuais para aumentar a beleza e apelo .

Revista: The African Face-Painting Tradition.

Em um primeiro olhar, há uma pequena resistência em se classificar esses fios como cacheados, porque os fios do tipo 2 não formam os cachos propriamente ditos. No entanto, elas já apresentam características suficientes para pertencerem a esse grupo, sendo uma versão mais primária dos cachos em formatos espirais.

Atualmente, aproximadamente 26% das mulheres brasileiras nascem com os fios do tipo 2A, 2B ou 2C. No entanto, apenas 15% mantém o formato natural dos fios. E é exatamente nos fios ondulados que se tem início a dificuldade de se fazer chegar vitaminas e água às pontas dos cabelos.

  • 2A – Esse tipo de fio dá ao cabelo um movimento natural.

Os cabelos lisos (tipo1) até conseguem imitar esse efeito com ajuda do babyliss nas pontas ou até mesmo com o uso da escova. As ondulações são mais visíveis na região das pontas, o que dá ao cabelo um aspecto de fio liso e desalinhado. A textura do tipo 2A é bastante fina, por isso praticamente não há volume na região da raiz e das pontas.

  • 2B – O fio 2A é mais “liso” na raiz, mas o fio 2B, já começa a apresentar pequenas ondas inconfundíveis desde o começo.

O fio não é mais tão fino quanto o antecessor e têm mais propensão ao frizz. O aspecto natural é de fios mais secos e bagunçados. Quando recém- arrumado, fica bem comportado, mas caso seja usado pente ou até mesmo escova nos fios secos, ele pode armar e criar um aspecto mais desalinhado.

  • 2C – O fio 2C apresenta mais volume antes mesmo de chegar na altura das orelhas, o que faz as ondulações serem bem mais visíveis e inconfundíveis. A semelhança com os cabelos cacheados já começa nesse fio, pois a intensidade das ondas é maio. Isso acaba garantindo cabelos fios mais encorpados.

Dicas De Cuidados Para Os Cabelos Tipo 2

Um cuidado que deve ser seguido em todos os cabelos encaracolado é regularidade da hidratação. No entanto, cada tipo de cabelo pede certos “cuidados específicos”. Por isso, fique atenta às recomendações.

  • Procure evitar o uso de cremes no cabelo 2A para que ele não fique ainda mais sem volume. Opte por usar o mousse e aproveite a vantagem do fato desse tipo de cabelo ser bastante maleável quanto ao uso do babyliss, o que pode ajudar a dar mais cachos quando você quiser um aspecto diferente e volumoso.
  • No cabelo 2B começa-se a preocupação com o frizz, então não se esqueça de incorporar um anti-frizz na hora da finalização. O resultado será muito mais agradável.
  • Caso você finalize com bastante atenção, usando mousse ou leavin, pode dar aos cabelos 2C um aspecto de cabelos 3A, onde já serão visíveis os cachos formados. Mas é necessário ter muita calma, usar a técnica de fitagem e incorporar um ativador de cachos para que o resultado fique natural.

download miau

Queridos, venho hoje, com o objetivo de fazer mais uma resenha. Um ”produto” pelo qual sou apaixonada: ”Dermaroller”, talvez algum de vocês tenham ouvido falar sobre. Vim contar basicamente a minha experiência. Tinha muitas estrias nas nádegas (bumbum mesmo, kkk), que por acaso não me lembro delas terem a fase de ”vermelhas” para ”brancas”, só me lembro desses ”desenhos” desgostosos no meu corpo já brancas mesmo.

Então como eu sou muito chata com certas coisas, principalmente com o cuidado com o meu corpo, resolvi procurar uma solução que fosse eficiente e que não ”agredisse” o meu bolso, até porque não podia bancar tratamentos relativamente caros pro meu ”bolso de estudante”. Catei tanto que achei sobre o Dermaroller, que basicamente é um aparelho de micro agulhamento da pele, com a intenção de que haja a estimulação da formação de colágeno e também aumenta a absorção de medicamentos tópicos.

De que forma é feito esse micro agulhamento: São feitas rolagens no local 10 para direção horizontal; vertical e diagonais, no total 40 rolagens. O indicado é que o ‘’processo’’ seja feito de 15 em 15 dias. Mas eu estava fazendo dia sim e dia não. Não façam isso, pois podem danificar a sua pele. Eu fiz dessa forma porque já estava louca da vida com minhas estrias e queria que elas desaparecessem rapidamente. Deve ser feito uma assepsia no local onde será feito o micro agulhamento e o Dermaroller deve ser também esterilizado, preferencialmente com álcool 70%.

20160421_121342

20160421_121355

Depois de fazer as rolagens, eu passo óleo de amêndoa puro. OBS: Não são aqueles misturados com silicones, petrolatos e coisas assim. Sempre verificar a origem do produto.

Bem eu só posso dizer que esse aparelhinho é a coisa mais maravilhosa que poderiam inventar haha, pois minhas estrias diminuíram 40% em dois meses (obviamente, devido à frequência que eu utilizo). Ele é ‘’vida’’, serve pra estrias; acne; flacidez; rugas e etc. É só amor! ^^

Eu comprei o Dermaroller no Ebay (<3) e se eu não me engano ele saiu por 30 dilminhas ou ‘’themers’’ e o óleo foi por umas 5 dilminhas e alguns centavos, que comprei numa farmácia lá no shopping Barra (uma que tem logo no primeiro piso). Ahhh, quase esqueço, o álcool você encontra em qualquer farmácia e eu comprei uma escovinha pequena para usar com o álcool para esterilizar o ‘’roller’’.

20160419_204035

A nação descobriu outro dia importância de se cuidar de seus cachos. Vamos antes de tudo descobrir de maneira simples um pouco mais técnica, sobre tudo que fios do cabelo precisam ,vamos fala do cabelo externo e não interno. Uma forma de tratar melhor os cabelos é entendendo o formato dos fios. É valido principalmente para as cacheadas porque é exatamente nesse tipo de cabelo que há a maior gama de variações e cuidados extremos. Isso resulta em fios com características bastante diferentes, o que acaba exigindo cuidados diferentes, tanto na definição das necessidades dos cabelos quanto na escolha de shampoos, condicionadores e tratamentos adequados.

No mundo há 8 tipos de cabelos que vão desde o liso extremo ao afro, sendo que no Brasil você pode encontrar cada um desses 8 tipos, mesmo com o acesso que se tem às químicas(tiogliocolato de amônia ate hidróxido) e demais tratamentos que modificam a estrutura dos cabelos das mulheres hoje em dia. Os cabeleireiros classificam esses cabelos da seguinte forma lisa (tipo1), encaracolado (tipo2), cacheados (tipo3) e crespos ‘afro’(tipo4).

Quanto aos cabelos cacheados, são classificados em 3 tipos – que é a maneira mais tradicional de separá-los – sendo que mais da metade das brasileiras nascem com as madeixas cacheadas (o que equivale a aproximadamente 63%), no entanto apenas 38% os mantêm.

Hoje, o numero crescente de mulheres que deixam as químicas que anos destruíram e que tiraram o brilho dos cabelos, esta em mudança esta devido segundo opinião Soraia Ferretti, fundadora da rede a Lunablu, as mulheres estão cada vez mais em busca de produtos e soluções que as ajudem a cuidar do visual natural dos fios. “A valorização dos cachos e de tratamentos que mantenham os cabelos saudáveis é uma tendência que vem ganhando cada vez mais força no Brasil, pois a procura por alisamentos e outros tratamentos químicos agressivos, que danificam a estrutura dos cabelos, tem sofrido uma redução gradual e significativa no mercado”, afirma.

Mas você que optou em preservar seus cachos e dedicar a eles os cuidados que merecem, encontrará aqui um guia completo que irá auxiliá-la a entender melhor seus fios e, assim, direcionar melhor o uso de tratamentos.

Classificando Os Tipos De Cabelos Cacheados

Dentro desses 8 tipos de fios que existem no mundo, pode-se encontrar os fios com características dos cacheados nos tipos 2, 3 e 4. No entanto, dentro dessa divisão há outras subdivisões que são dispostas em letras (A, B e C) que ajudam a definir melhor não só formato dos cachos, mas também se o fio é mais fino ou mais encorpado. Mas não são classificações técnicas, os profissionais dos cabelos sabem que existam mais 140 tipos de cabelos e muitas cacheadas já percebeu inúmeras misturas, por exemplo – dentro mesmo cabelo ter tipo 2c com 3a ou tipo 3b com 4c. Assim desta forma, os profissionais não poderia denominar com precisam os tipo de todas as cacheadas por causa das variações.

Por mais que se tenha um tipo predominante de determinado fio. A fibra capilar, ou toda a extensão dos fios, é dividida em três partes com funções diferentes que, unidas, deixam seus cabelos bonitos e saudáveis. Cutícula: camada mais externa que deixa os fios hidratados. Córtex: responsável pela forma, cor e resistência. Medula: presente em apenas alguns tipos de cabelos. A medula é a única parte da fibra capilar que está em contato com o bulbo e só é encontrada nos fios mais grossos ou nos brancos. Ela é responsável por distribuir minerais e nutrientes até as pontas.

Geralmente, esses outros tipos de fios tendem a ser vizinhos, ou seja, costumam vir antes ou depois da classificação do fio que é predominante no seu couro cabeludo. Assim, se você nos seus cabelos você percebe as características do fio 2B, poderá perceber que há fios mais lisos (tipo 2A ou até mesmo tipo 1) na região da nuca e fios mais encorpados (tipo 2C) na região mais externa, que acaba recebendo os raios do sol e a ação dos ventos com mais intensidade.
Na tabela abaixo você poderá ver as principais características de cada tipo de fio cacheado. Você vai notar que eles estão em “ordem crescente”, ou seja, um tipo de fio tem características de transição do tipo de fio antecede.

Agora que você já tem uma visão geral que acaba diferenciando um tipo de cacho do outro, vamos focar em dar mais detalhes de cada tipo de fio para orientar melhor seus cuidados aos seus cabelos cacheados.

TIPOS DE FIOS CARACTERÍSTICAS GERAIS
2 A Fio com ondulações leves que, muitas vezes, podem passar despercebidas.
B Fio com ondulações que predominam desde a região da orelha até às pontas
C Fio com muitas ondulações em todo cabelo, mas ainda não forma cachos.
3 A Fio com muitas ondulações em todo cabelo, mas ainda não forma cachos. Cachos abertos mais visíveis nas pontas. Há poucos cachos por mecha.
B Cachos mais fechados. Aumenta a quantidade de cachos por mecha.
C Muitos cachos por mechas, pois começam ser mais fechados e volumosos.
  4  A Cachos menores e em grande número por mechas. Volume maior.
 B Cachos muito pequenos. Começa-se a criar mais volume desde a raiz.
 C Cachos minúsculos e imperceptíveis. Dificuldade de hidratação das pontas.

Aguardem mais dicas e cuidados específicos para cada tipo de cabelo cacheado!!

TIPOS DE PELE

Normal

Menos frequente dentre todos os tipos de pele, a pele normal tem textura saudável e aveludada. Além disso, possui elasticidade ideal e produz gordura natural em quantidade adequada. Normalmente, a pele normal apresenta um aspecto rosado, com poros pequenos e pouco visíveis, e é pouco propensa ao desenvolvimento de espinhas e manchas.

Seca

A perda de água em excesso caracteriza a pele seca, que normalmente tem poros poucos visíveis, pouca luminosidade e é mais propensa a descamação e vermelhidão. A pele seca também pode apresentar maior tendência ao aparecimento de pequenas rugas e fissuras. A pele seca pode ser causada por fatores genéticos e hormonais, e também por condições ambientais, como o tempo frio ou seco, o vento e a radiação ultravioleta. Banhos demorados e com água quente podem provocar ou contribuir para o ressecamento da pele.

Oleosa

A pele oleosa tem aspecto mais brilhante, úmido e espesso, por causa da produção de sebo maior do que o normal. Além da herança genética, contribuem para a oleosidade da pele fatores como alterações hormonais, excesso de sol, estresse e uma dieta rica em alimentos com alto teor de gordura. A pele oleosa apresenta os poros dilatados, e maior tendência à formação de acne, cravos e espinhas.

Mista

É o tipo de pele mais frequente, e apresenta aspecto oleoso e poros dilatados na “zona T” (testa, nariz e queixo) e seco nas bochechas e extremidades. A pele mista tem espessura mais fina, com tendência à descamação e ao surgimento de rugas finas e precoces.

REGRAS DE OURO

Para cuidar da pele e ter uma tez resplandecente durante todo o ano, são essenciais alguns gestos. Praticar exercícios físicos, ter uma alimentação balanceada, boas noites de sono e evitar o consumo de álcool e cigarro também se traduzem em uma pele com mais vitalidade e beleza o ano todo. Qualquer que seja a natureza da sua pele, eis os 10 gestos indispensáveis!

  • Para cada tipo de pele, um cuidado.
  • Atenção especial às zonas frágeis
  • Limpeza, com suavidade.
  • Os olhos, uma zona de risco.
  • Esfoliação, indispensável.
  • Hidratação, essencial.
  • A maquilhagem, hipoalérgica, de preferência.
  • Cuidado com o sol.
  • Atenção às agressões exteriores.
  • Não esquecer os lábios!

REGRA 1

  • Para cada tipo de pele, um cuidado.

Para cuidar da pele e respeitar a sua natureza, recomenda-se que, em primeiro lugar, selecione produtos adaptados ao seu tipo de pele. Uma pele seca não tem as mesmas necessidades de uma pele oleosa.

REGRA 2

  • Atenção especial às zonas frágeis.

Determinadas zonas do rosto (contorno dos olhos, lábios, etc.) têm uma pele particularmente fina e frágil. Nomeadamente o contorno dos olhos ou os lábios, sendo mais sensíveis, necessitam de cuidados específicos e de uma atenção especial.

REGRA 3

  • Limpeza, com suavidade.

É importante limpar a pele duas vezes ao dia, de manhã e à noite, para evitar o acúmulo de oleosidade e resíduos de maquiagem e outros produtos, poluentes e poeira.  No entanto, a lavagem em excesso pode provocar sensibilização ou mesmo efeito “rebote”, com maior produção de gordura pela pele. Recomenda-se o uso de sabonetes adequados para o seu tipo de pele, preferencialmente líquido. A limpeza de pele realizada por profissionais capacitados também é indicada periodicamente para esfoliar, retirar cravos e preparar a pele para melhor absorção dos produtos de cuidados diários.

O cuidado da sua pele sensível começa na desmaquilhagem. Para não a agredir e respeitar o seu equilíbrio, recomenda-se a utilização de um desmaquilhante fisiológico, especialmente formulado para cuidar da epiderme com suavidade.

REGRA 4

  • Os olhos, uma zona de risco.

O contorno dos olhos possui uma pele dez vezes mais fina do que a do resto do rosto. Para a sua desmaquilhagem, recomenda-se uma rotina específica.

REGRA 5

  • Esfoliação, indispensável

Uma a duas vezes por semana utilize um esfoliante adaptado. Este deverá ser simultaneamente eficaz e suave. Recomenda-se a escolha de um esfoliante fisiológico, perfeito para alisar e purificar a pele, respeitando o seu equilíbrio.

REGRA 6

  • Hidratação, essencial

A hidratação diária da pele é fundamental para a manutenção do viço e da beleza da pele, além de manter a integridade da camada córnea, principal responsável pela proteção cutânea. Algumas doenças dermatológicas podem ser resolvidas apenas com esse hábito diário.

Assim, devem-se usar fórmulas hidratantes para cada tipo de pele e separar os cremes para o rosto e para o corpo. Uma dica importante é que as peles oleosas também precisam de hidratação. Nesse caso, recomenda-se usar um produto que não obstrua os poros, não contenha óleo (oil free) e não provoque cravos (não comedogênicos). Beber muita água, ingerir mais frutas e verduras também refletem em uma cútis mais hidratada e saudável.

A derme é constituída por 70% de água e a epiderme por 15%. Para manter uma boa taxa de hidratação é importante optar por cuidados diários hidratantes que equilibrem o nível de água na pele. Também poderá utilizar-se regularmente uma máscara hidratante, retirando o excesso com a ajuda de uma vaporização de água termal.

REGRA 7

  • A maquilhagem, hipoalérgica, de preferência.

Para evitar riscos de alergias associadas à utilização de produtos pouco adaptados à sua pele, recomenda-se a escolha de maquilhagem hipoalergénica especialmente formulada para responder às exigências da pele e dos olhos mais sensíveis.

REGRA 8

  • Cuidado com o sol

Qualquer que seja a estação recomenda-se a escolha de cuidados diários com filtro solar. Estes permitem atenuar os efeitos nocivos do sol que aceleram o envelhecimento cutâneo.

REGRA 9

  • Atenção às agressões exteriores

Poluição, tabaco, stress… Todos produzem efeitos nocivos na pele. Mantenha-se atenta (o). Proteja a pele antes de sair e limpe-a na perfeição, à noite, quando regressa a casa.

REGRA 10

  • Não esquecer os lábios!

Utilize um creme reparador para os lábios, zona particularmente frágil. Não hesite em renovar a aplicação, sempre que necessário.

 

 

 

O turbante esta em alta entre as mulheres, mas antes de tudo precisamos avaliar sue contexto histórico, que vai além de acessório estético da mulher. Os turbantes de uma moda crescente chamada “étnica”, símbolo de luta do movimento negro e valorização da identidade afro-brasileira, faz parte da religiosidade de algumas culturas.

Algo importante de reflexão, precisamos retirar o preconceito sobre os turbantes como algo de religiões africanas, poderemos ver com sua historia que vem, além disso, é acessório cultural e de vestimenta que podemos usar em varias ocasiões. Muito além de puro modismo introduzido por alguns intelectuais veio para ficar.

Avaliar de maneira negativa, não conhecer sua real historia que muito mais de um modismo, como é caracterizado por muitas pessoas. Os indícios antigos que sua real origem surgiu do oriente médio ou na África.  No Artigo “turbante, moda e racismo” a escritora Marcia Pinna cita no livro “História Ilustrada do Vestuário”, organizado por Melissa Leventon, em diferentes épocas e por diversas etnias. Persas, anatólios, lídios, árabes, argelinos, judeus, tunisianos aparecem com turbantes, utilizados de várias maneiras, bem antes da era cristã. Na Índia, o turbante também foi amplamente usado através dos séculos. O interessante é que entre os povos antigos, o adereço era predominantemente exibido por homens.

Os indianos usam por vários significados tribo ou casta, identificar sua religião (hinduísmo ou islamismo, na África – ojá africano), sua posição social, ainda são utilizados para proteger a cabeça do clima severo do deserto. Na África, os tecidos enrolados no corpo fazem parte da cultura, e os turbantes fazem parte deste complemento com o conjunto. Tantos homens e mulheres usam para identificar as funções de sociais, religiosas e como a moda. Hoje, no indumentário da moda africana existem inúmeras amarrações para cada estilo.

A Europa também aderiu ao turbante, primeiramente entre marinheiros e navegadores. Mas, há referências ao uso de turbantes como item de moda pelas mulheres francesas já no século XVIII. Por volta de 1920, o costureiro francês Paul Poirot trouxe os turbantes de volta ao cenário fashion com muito chame as mulheres. Coco Chanel também aderiu ao acessório. A moda se popularizou no final dos anos 30, e muitas atrizes de Hollywood apareceram retratadas com glamorosos turbantes.

turbantes

No Brasil, nossa artista Carmem Miranda adotou este magnifico figurino. Nos anos 60, o turbante ressurgiu novamente como símbolo da cultura negra, nos movimentos que lutavam pelos direitos civis contra a discriminação e o preconceito. O mundo da moda recentemente voltou como tudo, nos desfiles da Prada e disseminou no ocidente com luta do Empoderamento feminino.

No Brasil, são observados números grande de mulheres que adotam o adereço por achar prático ou bonito, mas também grupos de mulheres negras que utilizam como elemento de afirmação cultural. Ter turbante demostrar alto suficiência e poder mostra a importância de ser afrodescendentes que acessório exuberante, glamorosos em qualquer ocasião, descolado e moderno.

Texto baseado das escritoras Marcia Pinna (Site de historia de hoje.com), Adriana Borges (site óbvios). Muito obrigada pelas informações técnicas.

Bem, eu fiz uma ”loucura” ou não. Mas a minha última invenção foi comprar um shampoo de cavalo para utilizar no meu projeto de crescimento capilar. Eu viajei pro litoral da Bahia pra relaxar um tantinho e resolvi que era a hora de começar o meu projeto de ter os cabelos grandes até o fim do ano. De onde saiu essa ideia de usar shampoo de cavalo nos meus cabelos? Então, eu ouvi ”rumores” que a bela Jennifer Aniston usa esse tipo de shampoo para a ”saúde” de seus fios. Então lá fui eu num PET SHOP e comprei o dito cujo. Acabei por dividi-lo com minha tia.
Confesso que só o utilizei por 3 vezes e por pura teimosia. Pois da primeira vez que utilizei, meu cabelo ficou com um aspecto terrível. Os meus fios ficaram extremamente ásperos. Logo em seguida eu hidratei e fiz todos os outros passos como de costume (condicionador e creme de cabelo). Quando meu cabelo secou, ficou bem opaco e sem vida, fora o fato que continuou um tanto áspero.
Eu usei pela segunda vez achando que o que aconteceu foi somente o cabelo ”se adaptando” com o novo shampoo. Só que dessa vez eu pus óleo de coco no cabelo antes de finalizar com creme. Meu cabelo ficou oleoso, mas um pouco menos danificado como ficou na lavagem anterior. Então pensei, essa budega não prestou no meu cabelo, mesmo assim não quis me desapegar ou jogar fora o ”bixo”, pois ainda ficou aquela esperança lá no fundo de que mesmo ele deixando o cabelo opaco e áspero, ele poderia influenciar positivamente no crescimento do meu cabelo.
Então minha querida mãe me fez uma pergunta muito perspicaz: ”Você vai continuar usando uma coisa que não está lhe fazendo bem (a julgar pelo aspecto que ficou meu cabelo das vezes que eu o utilizei)?
Perguntei a minha tia se ela tinha se dado bem com o shampoo e ela disse que no cabelo dela ficou muito bom, deu brilho e tudo. Então conclui que, foi questão de ”organismo”, do fio mesmo; pessoa para pessoa…essas coisas. Custou em torno de R$ 22 dilminhas e alguns centavos.

Fiz uma pesquisa sobre todos os componentes e deixo aqui a breve pesquisa de seus componentes:

Lauril éter sulfato de sódio, ou laureth sulfato de sódio (SLES), é um detergente e surfactante que faz parte de muitos produtos de higiene (sabonetes, shampoos, cremes dentais, etc.). É um desengordurante muito eficaz e barato.
Cocoamida DEA , ou dietanolamina de cocoamida , é uma dietanolamida feitos por reação da mistura de ácidos gordos a partir de óleos de coco com dietanolamina . [2] É um líquido viscoso e é usado como um agente de formação de espuma em produtos de banho como champôs e sabonetes , e em cosméticos como um agente emulsionante . OBS: Não achei uma pesquisa que estivesse apenas COCOAMIDA, e pelo que li parece que é a mesma coisa deste aqui.
Essência, no contexto da química, uma essência é uma solução (que frequentemente contém álcool) de óleos essenciais ou outras substâncias vegetais.
O branqueador óptico é uma substância que tem a propriedade de absorver a luz ultra-violeta, realçando a coloração branca (que é a soma de todas as cores do espectro).
Poliquartenium 7, Polímero catiônico com função anti-estática e condicionante. Compatível com tensoativos aniônicos, é ideal para ser utilizado em formulações de shampoo e sabonete líquido. Indicado como ativo anti-estático e condicionante, melhorando a penteabilidade dos cabelos quando aplicado em shampoos e condicionadores. Em emulsões para a pele, reduz o toque graxo, conferindo toque suave e aveludado.
Veículo q.s.p., em química, é a abreviação de ‘Quantidade Suficiente Para’. Em Latim, Quod Satis para. Este termo é utilizado quando não se tem uma quantidade definida de um veículo líquido ou sólido, ou este varia, para se completar um determinado volume ou massa. Muito comumente o veículo líquido que completa uma solução é a água, mas pode ser também um outro solvente como o álcool ou éter.

O primeiro passo desvendar o que é cronograma Capilar? É o manual que usamos no cabelo. Meninas nossos cabelos CONSTANTEMENTE perdem nutrientes essenciais para saúde de nossas madeixas. Perdemos esses nutrientes naturalmente, seja exposição do sol, uso excessivo da acua ou junto com cloro, água muito quente do chuveiro, uso excessivo de secador e chapinha, e pra finalizar vem à acarretada de processos químicos no cabelo.

Qual o maior objetivo do cronograma é repor massa capilar perdida. Exatamente por isso DEVEMOS e precisamos repor os nutrientes perdidos conforme o perfil e a necessidade de cada cabelo. Os cabelos cacheados possuem um desgaste natural da fibra capilar causada pela falta de oleosidade em todo o comprimento dos fios, enquanto cabelos lisos sofrem uma menor agressão no que tange o ressecamento, pois sua a distribuição de sua oleosidade é mais homogênea.

O primeiro passo é conseguir distinguir e tratar de maneira direcionada o tipo de cada cabelo, cacheado ou liso, como também sua maiores necessidade. O mais importante que o cabelo precisa de cuidados diários e semanais, “a tão famosa só hidratação no final de semana não resolve mais os danos”, pois na questão de cabelo não existe milagres, um grande esforço de cuidados diários que resultam em resultados satisfatórios em longo prazo.

As seguintes as etapas de:

1°: Hidratação – função é repor a água do fio. Se o cabelo esta sem brilho, ressecado e armado precisa deste procedimento. As mascaras de poder hidratante são as que contem em suas formulas, silicones, a base de frutas, aloe vera, álcool modificado, vegetais, pantenol, açucares, vitaminas e glicerina. Normalmente encontramos em mercado, feiras, casa de cosméticos, farmácias e uso de receitas caseiras. Nesta fase deixa seu cabelo macio, com balanço, sedoso, pode fazer com bastante frequência que defini os cachos.

 

2°: Nutrição ou Umectação – é desenvolver os lipídios dos fios, deixando os cabelos com oleosidade necessária. O cabelo esta com frizz, sem balanço, desalinhado, preciso de mais nutrição. O poder nutritivo tem a palavra de “óleo” isso só encontrou com óleos essenciais ou vegetais, juntamente com as manteigas vegetais. Sou verdadeiramente amante desses óleos, o resultado cabelo sem frizz, sem volume, as pontas duplas, combate o ressecamento e realça o brilho.

3°: Reconstrução ou Cauterização – é responsável de repor as proteínas dos fios. Se seu cabelo esta poroso, fino, ralo, partindo e quebradiço, precisa deste procedimento. Uma reconstrução é base de queratina, creatina, proteína, trigo, colágeno, aminoácidos, argelina, cisteína, proteínas hidrolisadas etc. ATENÇÃO: meninas uso excessivo de mascara de hidratação com queratina parte o cabelo tenha CUIDADO. O ideal é fase a cada 15 ou 30 dias.

Vocês facilmente perceberão a resposta do fio após cada etapa. Na etapa cujos resultados sejam aqueles que você mais gostou, esta será a etapa que melhor supriu as necessidades do seu cabelo. Sobre questões técnicas passei todas as informações necessárias, mas na realidade meninas com post anterior eu informei e confirmo no inicio de 6 meses com todo gás, realizamos todos estes procedimento de maneira diária. Só que com o tempo, todas esmoreceram e diminuíram os cuidados, isso não significa que deixou de cuidar de seu cabelo, o resultado de melhor expressão é ainda fazer a risca o cronograma capilar.

Tipos de Cronograma Capilar:

Uso de 6 meses

Para iniciantes!!

Obs: as meninas tipos crespos ou afro(tipo 4) uso de hidratações e umectações são dobradas durante a semana. Pra maior retenção de água nos cabelos.

 

IMG-20160403-WA0052

Power Black Brasil

O termo Empoderamento muitas vezes é mal interpretado. Por vezes ele é entendido como algo individual ou a tomada de poder para se perpetuar as opressões. Para o feminismo negro, Empoderamento possui um significado coletivo, trata-se de empoderar a si e aos outros e colocar as mulheres negras como sujeitos ativos de mudança. Empoderamento diz respeito a mudanças sociais numa perspectiva antirracista, anti elitista e sexista através das mudanças das instituições sociais e consciências individuais.

Logo, Empoderamento sob essa perspectiva significa o comprometimento com a luta pela equidade. Não é a causa de uma pessoa de forma isolada, mas como essa pessoa faz para promover o fortalecimento de outras mulheres com o objetivo de promover uma sociedade mais justa para as mulheres. Significa ter consciência dos problemas que nos aflige e criar mecanismos de combatê-lo. Quando uma mulher empoderar a si tem condições de empoderar a outras.

autoestima

auto estima

Eu como mulher emponderada tenho uma luta interna comigo mesma todos os dias, para influenciar outras como “eu”, importância de aceitar sua beleza interna e externa, descobrir o papel de ser negra em sociedade, que viver sobre padrões distorcidos ou empregados por mídias, que sempre buscavam influenciar em fazer acreditar que somos algo, que não condiz com nossa cor, pele ou regionalidade. Sou negra formadora de opinião, não posso falar ou ensinar, sem pensar como isso será visto pela grande massa.

“As identidades de grupo são um aspecto inevitável da vida social e da vida política e as duas são interconectadas porque as diferenças de grupo se tornam visíveis, salientes e problemáticas em contextos políticos específicos. É nesses momentos – quando exclusões são legitimadas por diferenças de grupo, quando hierarquias econômicas e sociais favorecem certos grupos em detrimento de outros, quando um conjunto de características biológicas ou religiosas ou étnicas ou culturais é valorizado em relação a outros – que a tensão entre indivíduos emerge. Indivíduos para os quais as identidades de grupo eram simplesmente dimensões de uma individualidade multifacetada descobrem-se totalmente determinados por um único elemento: a identidade religiosa, étnica, racial ou de gênero.” (Joan Scott – Historiadora/O Enigma da Igualdade).

empoderamento-feminino1

Cada mulher em seu espaço de atuação pode criar formas de empoderar outras mulheres. Se for empregadora, pode criar um ambiente de trabalho onde exista o respeito e que possa atender a demanda de mulheres, principalmente daquelas que são mães, certificar-se que não há desigualdade salarial e assédio. Se for professora, estiver atenta aos xingamentos machistas muitas vezes naturalizados como brincadeiras ou chacotas. Tentar promover discussões em salas de aula que tragam a reflexão sobre a situação das mulheres. Criar um grupo na comunidade ou associação do bairro para discutir estratégias de apoio a outras mulheres ou o enfrentamento à violência que essas mulheres possam vir a sofrer. Não ser neutras quando homem ameaça uma mulher, ela poderá mais a frente uma estatísticas numéricas de mortes feminicídeos no futuro, se anular mesmo que colocar uma arma na sua cabeça, nada impedir isso chegar a sua porta.

Significa uma ação coletiva desenvolvida pelos indivíduos quando participam de espaços privilegiados de decisões, de consciência social dos direitos sociais. Essa consciência ultrapassa a tomada de iniciativa individual de conhecimento e superação de uma realidade em que se encontra. É uma nova concepção de poder que sai a resultados democráticos e coletivos. É promover uma mudança numa sociedade dominada pelos homens e fornecer outras possibilidades de existência e comunidade. É enfrentar a naturalização das relações de poder desiguais entre homens e mulheres e lutar por um olhar que vise à igualdade e o confronto com os privilégios que essas relações destinam aos homens. A busca pelos direitos das mulheres à autonomia por suas escolhas, por seu corpo e sexualidade.

  • obs.: Este texto foi inspirado por Djamila Ribeiro “emponderamento necessário”. Gostaria mesmo de maneira tardia homenageá-la pela excelente inspiração.

 

Engana-se quem pensa que este é um problema específico da adolescência ou de pessoas que adotam dietas ricas em alimentos doces e gordurosos: pele oleosa é uma herança genética que pode causar problemas em diferentes fases da vida, sendo o principal deles a acne.

Embora os adolescentes sejam conhecidos como suas maiores vítimas, muitas pessoas padecem com o problema até quase os 30 anos e muitas mulheres sofrem mensalmente deste mal durante o período pré-menstrual ou, em alguns casos, após a menopausa, já que alterações hormonais contribuem para deixar a pele oleosa.

A vantagem de tudo isso é que a oleosidade mantém a pele hidratada e diminui os efeitos do tempo, fazendo com que pessoas que possuem pele oleosa apresentem menos rugas. Mas para usufruir deste benefício sem sofrer com os problemas que a oleosidade excessiva pode causar à pele, são necessários alguns cuidados que devem ser incorporados à sua rotina e que podem ser feitos através de medidas simples e remédios naturais.

Ritual de limpeza da pele oleosa

Limpar a pele é um cuidado básico fundamental para a manutenção da saúde de qualquer tipo de pele, mas essa necessidade é redobrada no caso da pele oleosa.

  • O segredo é lavar a pele ao menos duas vezes por dia com água quente, já que ela dissolve melhor a gordura que a água morna ou fria.
  • Ao longo do dia você pode borrifar água fria no rosto e enxugar levemente para remover o excesso de óleo.
  • Outra opção é limpar o rosto com lenços de papel com o mesmo propósito.

Obs: Seja como for, tenha apenas cuidados para não limpar a pele excessivamente, já que isso pode deixá-la muito seca e criar um efeito rebote: diante da ausência excessiva de óleo, a pela “entende” que é necessário produzir mais óleo para compensar.

Solução adstringente

No caso da pele oleosa, geralmente lavar apenas o rosto não basta para mantê-lo limpo por muito tempo. Para uma limpeza mais profunda e obtenção de melhores resultados são indicadas as soluções de limpeza adstringentes e você pode fazê-las em casa.

Para fazer soluções adstringentes caseiras:

  • Misture numa xícara uma colher de sopa de sálvia ou menta com água fervida e deixe descansar por 30 minutos. Coe a solução e deixa esfriar antes de aplicá-la no rosto. O que sobrar pode ser armazenado num recipiente fechado por até três dias em temperatura ambiente e até cinco dias na geladeira. Soluções adstringentes devem ser aplicadas no rosto duas vezes ao dia, após lavá-lo.

Esfoliante caseiro

Esfoliar a pele é importante para limpá-la e remover as células mortas. No caso de peles normais e secas, o procedimento é indicado semanalmente ou quinzenalmente (para peles mais sensíveis), mas quem tem pele oleosa pode investir no tratamento duas vezes por semana.

A boa notícia é que esfoliar a pele em casa de modo eficiente é bem barato. As melhores receitas são à base de mel, substância que ajuda a hidratar e cicatrizar a pele. Você pode misturá-lo com açúcar ou aveia e passar sobre a pele em leves movimentos circulares.

Para obter melhores resultados:

  • Deixa a mistura descansar sobre o rosto de 5-10 minutos após a esfoliação. Após isso, enxágue a pele e aplique uma mistura de aveia e água sobre ela para fechar os poros. Deixe agir por 20 minutos e enxágue.