Destaque da semana

Vou destacar o poeta, compositor, percussionista, contrarregra e diretor de cena Poeta Rp. Nascido na Cidade De Deus – Rio De Janeiro  –  aonde viveu até seus treze anos, como também morou no Bairro da Água Santa, hoje mora na Cidade de Nilópolis – Baixada Fluminense – Rio De Janeiro. Tem 35 anos de muita experiência e carreira. Está no ramo artístico desde do ano de 1999, quando ainda estudando música fez parte do elenco do Espetáculo – ” Návio Negreiro ” – como músico e ator.

No ano de 2006, ainda estudante, representou o C.E. Virgílio De Melo Franco no Festival Estudantil de Música Popular Brasileira com a música de própria autoria ” Menor Abandonado “, hoje com o título ” Menor Abandonado De Rua ” ficando em sexto lugar entre todos os Colégios do Estado do Rio De Janeiro.
Já fez parte do Grupo Essência De Um Beijo . Já tocou com artistas como: Mauricinho, Henrique e Fernandinho ( Grupo Alô Som ), Fabinho
( Grupo Rebolacho ), Marquinho Satã, Acir Marquês, Cesinha Do Banjo, Flavinho
( Grupo 100 % ), Grupo Raça, Grupo Senzala, Grupo Explessão Do Samba, Grupo Viola, Grupo Refrão, Grupos Pedaços e outros.

Atuou como contrarregra nos Espetáculos:

* Esse Monte De Mulher Palhaças – Festival Internacional de Comicidade Feminina – 5* edicão – 2013.
– Direção: Geni Viegas / Karla Concá e Samantha Anciães.
– Teatro de Arena Sesc Copacabana

* Deixa Clarear – músical sobre vida e carreira de Clara Nunes.
– Direção: Isaac Bernat.
– Teatro Café Pequeno.

* Festival De Esquete – 2015 – Secretária De Cultura De Nilópolis.
– Direção: Augusto Vargas.

É ideliziador e produtor juntamente com a Organizadora De Eventos Taiane Farias Dos Santos do projeto
” Conhecendo O Rio Que Desconheço “. Esse Projeto tem o papel de promover que crianças e adolescentes do Bairro aonde mora – Cabral – conheçam os espaços culturais e científicos centralizados na Capital do Estado do Rio De Janeiro. Sabendor que a região da Baixada Fluminense não é contemplada com esses espaços ele vive seu lema ” se a arte libertadora não vem até nós; vamos nós ao encontro dela “.

Produz  como poeta divulgando seu trabalho e Contrarregra e Diretor de Cena. O grupo Revelação teve uma grande influencia em sua formação Artística. Essa uma homenagem muito bonita a este grande grupo de musica de samba de raiz. Divulgas suas poesias nas ruas entregando as pessoas impresso em folhas.!!!

Letra: Nação Doente.

Nação Doente ( 3× ).
Com um monte de crente.
( Refrão! )

Povo que não briga
Povo que não luta
Vive condenado a morrer da própria fé
Chega de mentiras
Fim da hipocrísia
Não permita que seu líder determine quem tu é.

Refrão! ( bis ).

Invadiram
Prenderam
Mataram
A missão é em nome de Jesus
A imagem do homem derrotado
Não é essa a verdade que prega aquela cruz.

Refrâo! ( bis ).

Por tudo põem a culpa no Diabo
Nem de tudo o sujeito é  culpado
Querem que você acredite nisso
Na verdade, o sistema que é o culpado.

Refrão! ( bis ).

A verdade o medo ensina não dizer
Quem abre a boca tá marcado pra morrer
Não tenho medo de cantar  a minha verdade
Minha fé ensina liberdade.

Refrão! ( bis ).

Nossa gente não conhece a própria história
Vida de gado
É massa de manobra
Por isso vive morrendo da esperança
Que vem do céu
A salvação desse País.

Refrão! ( bis ).

Larga dessa fé que te escravisa
Acredite …
Não é ela que trás sentido a sua vida
Estude, liberte  sua mente
É isso que te faz uma pessoa diferente.

Refrâo! ( bis ).

A luta é nossa ninguém luta por nós
Se não fizer a sua parte o sistema te destrói
Desdobre os teus joelhos, comece a agir
Se não for você ninguém luta por ti.

Refrão! ( bis ).

Deus existe, isso não desculto. O que eu quero mostrar, é que sem a religião o sistema não consegue escravisar e as pessoas se tornam livres.

Refrão! ( bis ).

Poeta Rp.
Zap. 21 998832204
Email: poetarpmusicaepoesia@outlook.com.br

Poema: Nossa Cultura Popular.

Samba
Na batida do pandeiro
Em território estrangeiro
Se faz cultura popular.

Para o samba não existe fronteiras
Melhor do que o samba não há
O samba é o grito do povo
O samba é a liberdade daqueles que sabem lutar.

O samba é o sangue na veia
Fogo que a alma incendeia
Samba de Cartola e Castelo
Sem poder esquecer do saudoso candeia.

Que venha a nova geração
Enovando o que antes se cantava
Criativando o que antes se tocava
Tudo é samba
O samba não tem tempo e nem lugar
O samba, é a alma do sambista
Que deixa explodir na percussão sua alegria
Na delicadeza da melôdia
Chora cavaco, harmoniza vióla
O samba quando começa a tocar
A pele arrepia.

Samba é isso
Simples de se cantar
Glamuroso no modo de se tocar.

Samba que o tempo imortalizou
Dolente, partido, cansão
Samba de Roda
Inspira a emoção
Do poeta –  compositor
Bebendo da história
Vinda da essência mãe África
No Brasil sua negritude fecundou.

Nascido para não morrer
Bandeira a prevalecer
Esse é o samba
Nas suas rodas encanta a cantar
Como é lindo o Samba
Música brasileira
Nossa cultura polpular.

Poeta Rp.
( Ricardo Rosa ).
Zap. 21 998832204.
Email: poetarpmusicaepoesia@outlook.com.br

Letra: Povo Na Rua.

Povo na rua bota medo no Governo
Vem tu pra rua
Cobrar os seus direitos. 2 ×.
( Refrão! ).

O que eu vou falar agora você já
sabe
Quatro mandatos de pura sacanagem
Eles fazem tudo para emburrecer a gente
Na certeza que a gente não se rebele
Não tenha medo de botar a cara a tapa
A união é o que dá vitória a massa.

Refrão !

Tenho certeza ninguém tá satisfeito
Sem interece por não ter o que é direito
Esqueça a cor e também a tua crença
Todo mundo junto fazemos a diferença
Somos brasileiros donos da nação Brasil
Quem faz currupção vai pra puta que pariu.

Refrão!

Poeta Rp. ( Ricardo Rosa ).
Zap. 21 998832204.
Email: poetarpmusicaepoesia@outlook.com.br
[24/4 1:55 PM] Ricardo Rosa Poeta Rio: Letra: Menor Abandonado De Rua.

Será que sou culpado por ser assim
Menor abandonado
Menino de rua
Será que meu País me vê como gente
Não é filme
É vida real, nua e crua.
Nasci assim
Tenho que aceitar
Será, é esse o destino que Deus me deu
Me pergunto: por que não me dão a chance
No meu presente fazer do meu futuro diferente?

Quero ser a soma
Subtração jamais
Multiplicar com esse povo
Na busca da paz ( Refrão ).

Nas ruas direito de querer um pão
Dê – me por favor pobre cidadão
Que luta, trabalha
Levar o alimento para sua casa.
Meu pai talves seja assim
A ele que pena não conheci
Menor abandonado de rua
Sou propaganda da hiprocrísia
Papel principal nesse cenário de mentiras.
Balas cruzadas, menor caído no chão
Resultado fatal da nossa cituação
Quem me conhece
Não querem,
Desconhecido,
Solto na selva de pedra.

Refrão! ( bis ).

Será sou caça ou caçador
Ensinado tenho que matar
Querem a minha cabeça
Minha espécie a ordem é exterminar.

Na Candelária foi assim!

No Rio de Janeiro vários pontos de chacinas
Só não saem na mídia
Cadê quem manda
Cadê quem diz
Sou comandante da porra desse País
Não fazem nada e o povo chora
Mãe agoniza encima do menino que foi embora
Perdeu pra vida
Perdeu pro mundo
Seu filho mataram as feras desse sistema imundo.

Refrão! ( bis ).

Não estou dizendo que sou certo nem correto
Sou verdadeiro
Apenas pedindo a chance de mudar
Ser reconhecido ” cidadão brasileiro “.

Poeta Rp.
Zap. 21 998832204.
Email: poetarpmusicaepoesia@outlook.com.br

 

Sobre o Rio De Janeiro sua cidade Natal:

Poema: A Mais Bela Cidade Do Brasil.

Bom dia Rio De Janeiro Salve Cidade Maravilhosa.

Não há como não te amar

Não há como não te querer

Não há como vivendo aqui

Não sentir prazer em viver.

Em cada canto

Um pedaço do Brasil

Rio do Nordeste

Rio do Sul

Rio do Leste

Rio do Centro Oeste Rio, de todos os Estados brasileiros.

Rio Beleza da mais profunda magia da natureza

Floresta Da Tijuca

Mata Do Grajaú

Incontáveis os tantos recantos da perfeita mão Deus.

O Rio continua lindo

Na voz de quem canta

No sorriso de quem mora

Na mais bela Cidade do Brasil.

Sobre o Amor:

Poema: Não Deixarei De Lhe Amar.

Ainda que o nada seja tudo que eu tenho

Ainda que a escuridão seje minha luz

Ainda que a sua lembrança se faça a única razão do meu viver

Ainda que tenha eu motivos para te esquecer Não deixarei de lhe amar.

Ainda que meus passos retrocedam

Ainda que a flor no campo perca seu perfume

Ainda que na vida não encontre o porquê do meu existir

Ainda que eu esteje vivendo só por viver Não deixarei de lhe amar.

Ainda que as águas do mar se transformem em sangue

Ainda que o brilho das estrelas se apague

Ainda que na noite se contemple o dia

Ainda que no dia se tema a noite Não deixarei de lhe amar.

Ainda que por toda vida te procure

Ainda que no meu corpo não te sinta

Ainda que a minha chama se torne cinzas

Ainda que meus sonhos sa façam de horrores ,

Não deixarei de lhe amar.

Não deixarei de lhe amar

Nem por um estante

Não deixarei de lhe amar

Ainda que você não me ame.

 

Sua dedicação uma amiga querida: 

Poema: A Beleza Mais Bela.

Quando ela passa o tempo pede tempo

Para que todos tenham tempo

Para admirar o desfilar da sua beleza.

Um ser tão cheio de luz,

Uma pureza na alma

Indo além da compreenção maxista

Provando … Toda mulher é muito mais do que seu sexo

A mulher também é sua inteligência e existência

Ela prova que se pode conquistar sem dispir a nudes

Toda mulher tem seu valor

Basta querer valorizar – se diante do próprio olhar.

Ela se foi

O tempo volta a seu tempo para o tempo do amanhã chegar

Trazendo com ele a beleza mais bela que já vi

Que tem por nome ” Rafaela Jesus “.

Só tenho agradecer esta valiosa homenagem a mim, mostrar ao mundo trabalho deste Poeta Maravilhoso!!

Poeta Rp. Zap. 21 998832204. Email: poetarpmusicaepoesia@outlook.com.br

0 Comments

Deixe um Comentário