Substâncias Umectantes ou Emolientes presentes nos hidratantes com a função de hidratar

A pele é o órgão mais extenso do corpo humano e adquire diferentes características em determinadas áreas do organismo, variando espessura e textura. É dividida em três camadas: epiderme, derme e conjunto adiposo.

A epiderme é a camada mais externa e tem a função de proteger a pele de agressões, dos raios UV e da perda excessiva de água. Ela também é subdividida em camadas, sendo que sua camada mais superficial é chamada de estrato córneo, composta basicamente por queratina. Nela, são encontradas moléculas de aminoácidos que formam o Fator Natural de Hidratação (NMF, da silgla inglês Natural Moisturizing Factor), que é fundamental no controle e manutenção da hidratação do estrato córneo. O NMF é uma mistura de 15 aminoácidos altamente higroscópicos, ou seja, capacitados para absorver água da atmosfera mesmo em baixa umidade. A água é a única substância capaz de proporcionar elasticidade ao estrato córneo, sendo necessária para que as reações metabólicas ocorram, resultando na renovação celular. E é o estrato córneo que tem a importância de reter a água nesta região, evitando que a pele fique ressecada e desidratada.

A quantidade de água na pele é reduzida naturalmente com o aumento da idade, assim como a quantidade de NMF produzida, fazendo com que a pele se torne mais seca e menos hidratada. Outros fatores como exposição ao sol, uso de detergentes ou solventes e tempo seco podem levar à desidratação e, consequentemente, sensações de desconforto, estiramento, perda de elasticidade, de brilho e de maciez.

Portanto, é recomendável tomar atitudes para manter a pele bonita e saudável, mas dentre os diversos tipos de hidratantes no mercado, como saber qual usar? A pele e cabelo aumenta sua capacidade de reter água ao aumentar sua hidrofílica (atração pela água) através de substâncias emolientes, umectantes e hidratantes. De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), uma substância emoliente amacia e suaviza a pele, a hidratante é aquela que aumenta o teor de água da pele e ajuda a mantê-la macia como opção aos cachos e a umectante mantém e retém a umidade dá mesma forma.

Emolientes

O uso regular de cremes e loções contendo emoliente e umectante mantém a pele lubrificada e hidratada.

Emoliente lubrifica e umectante é higroscópico, mas ambos retêm água na pele. Foto: imagerymajestic / FreeDigitalPhotos.net

São substâncias como óleos ou lipídios, que têm finalidade de suavizar, amaciar ou tornar a pele mais flexível. Os emolientes diminuem a perda transepidermal de água e mantêm o nível adequado de umidade no estrato córneo, permitindo flexibilidade cutânea.

A presença de umidade no interior das células córneas mantém a maciez e a elasticidade da pele jovem e sadia. O envelhecimento e as agressões ambientais colaboram na redução da capacidade de retenção de água da pele, tornando-a seca e rugosa. Dessa forma, a adição de agentes emolientes em formulações pode ser eficaz na prevenção de rugas e pele seca, além de proporcionar melhor espalhabilidade do produto. Em geral, os cremes possuem pelo menos um emoliente em sua composição. São dados pelos óleos vegetais, ácidos graxos (ômega 6 e 3) e lipídios não gordurosos que espalham facilmente na pele, conferindo-a uma textura de maciez e flexibilidade.

São substâncias que contêm água em sua formulação e, quando aplicadas na pele, criam uma camada protetora, que protege a pele de perder água para a atmosfera, mantendo-a umedecida. Essas substâncias não permeiam no estrato córneo, elas formam um filme hidrofílico sobre a pele, retendo água na superfície da camada córnea. Também são adicionadas nos cosméticos para melhorar a consistência do produto, e para que não ocorra cristalização do mesmo. Hidrolisados de proteína animal ou vegetal são usados como umectantes nos cremes.

Dentre eles destacam-se também a glicerina, D-pantenol, ácido hialurônico, óleos e extratos vegetais. Os óleos vegetais são os melhores agentes umectantes, pois eles repõem o filme hidrofílico da pele mantendo a água na superfície da camada, deixando-a hidratada. O ácido hialurônico é uma substância encontrada na pele e atua preenchendo os espaços entre as células, deixando a pele com um aspecto liso e bem hidratado. A concentração desse ácido diminui conforme a idade, sendo um dos motivos de aparecimento de rugas e de ressecamento. A adição desse composto nos cremes ajuda tanto na hidratação, já que ele retém água na pele – um grama de ácido consegue reter três gramas de água – quanto a suavizar rugas e marcas de envelhecimento.

Umectante

Já os ingredientes umectantes, são substâncias hidrofílicas, isto é, que têm alta afinidade pelas moléculas de água, pois são capazes de formar pontes de hidrogênio (reduzem a atividade da água!). Basicamente, os umectantes atraem a água livre que encontram na própria pele (ou cabelos), assim como a água que é proveniente dos cosméticos que aplicamos, evitando sua evaporação e, portanto, umedecendo a queratina. São exemplos de umectantes: os glicóis em geral (propilenoglicol, butilenoglicol, etilexilglicerina, caprilil glicol etc.); a glicerina; o sorbitol; os açúcares; a ureia; os polímeros hidrofílicos (carbopol, celuloses etc.); o ácido hialurônico; as proteínas hidrolisadas etc. Há evidências científicas de que concentrações de umectantes na ordem de 15-20% reduzem a perda transepidermal de água. Menos que isso pode não ser eficaz ou até favorecer a perda de água (depende dos outros mecanismos de hidratação também utilizados na fórmula!).

Portanto, em resumo, emolientes e umectantes são adicionados em cosméticos para aumentar o conteúdo de água na pele ou nos cabelos (hidratar), embora façam isso por mecanismos diferentes! Os emolientes ainda trazem a vantagem de preencher e lubrificar as escamas, diminuindo o aspecto esbranquiçado (da pele) ou ressecado (dos cabelos).

Mas não é só isso! Os umectantes também têm uma função técnica na formulação. Devido à sua capacidade de atrair a água e evitar que ela evapore, os umectantes também retardam a perda de água da própria fórmula. Portanto, podem ser usados para impedir alterações na qualidade do produto. Isso é especialmente importante em formulações com alto teor de sólidos, como máscaras de argila, pastas ou cremes dentais. Concentrações de 1 a 10% de umectantes já garantem um bom desempenho neste sentido. Além disso, por tornar a água menos disponível, os umectantes acabam contribuindo com um efeito antimicrobiano, o que é muito interessante em formulações auto-conservantes, porém normalmente é preciso conservantes ou dispositivos adicionais para garantir uma conservação completa.

Embora sejam capazes de retardar a perda de água na pele ou nos cabelos, os emolientes não são tão eficientes em retardar a perda de água na fórmula. Os óleos emolientes ficam retidos nas gotículas da fase interna de uma emulsão, enquanto a água fica livre na fase externa e pode evaporar mais facilmente. O filme que os emolientes formam na pele não está presente na formulação. E essa é uma distinção importante entre os emolientes e umectantes.

Fonte: http://www.ecycle.com.br/

Publicado: Rafa Francisca

Imagem: Google

error: Conteúdo Protegido!